quarta-feira, 25 de abril de 2018

Deixe o seu Carro em Casa

      Entre os anos de 1999 e 2005 a Cia. Carris produziu um jornalzinho voltado para o seu público externo. O informativo "Coletivo" era distribuído nos ônibus da empresa e tinha uma tiragem mensal. Tratava-se de uma publicação "de bolso", no formato de um bloco de notas pequeno. Geralmente o material era composto por poucas páginas, o exemplar do qual iremos falar, por exemplo, tinha apenas oito. 
     Mesmo sendo um jornalzinho pequeno, o "Coletivo" trazia matérias pertinentes e interessantes! No primeiro exemplar de 2003, por exemplo, há um texto com informações sobre as linhas da empresa que serviam ao Fórum Social Mundial, uma matéria sobre os três anos da linha T9 e uma coluna intitulada "Nossa Gente", falando sobre o cotidiano de uma dupla de motorista e cobrador. Merece destaque, entretanto, um pequeno texto intitulado: "Deixe seu carro em casa". Como é possível deduzir a partir do título, o tema da matéria é a ideia de substituição do uso do automóvel pelo transporte coletivo nas grandes cidades.
     É dada a informação de que iria ocorrer uma "Semana Nacional do Trânsito", com a participação da Prefeitura de Porto Alegre e da Cia. Carris. Também é informado que durante um dia ocorreria o fechamento de um trecho da Avenida João Pessoa. Neste espaço só seria permitida a circulação de veículos de transporte público e a realização de atividades esportivas e culturais.  O Museu Itinerante Memória Carris iria participar desta ação abrindo suas portas para visitações.
     Pesquisando um pouco sobre o tema na internet, descobrimos que há uma campanha mundial intitulada "Na cidade sem meu carro" que tem como um dos seus slogans a frase "Deixe seu Carro em Casa". Pelo o que podemos deduzir, há uma relação entre as atividades propostas pela Prefeitura em 2003 e a campanha citada. O programa "Na cidade sem meu carro" tem sua origem na França e tem como uma das suas premissas a ideia do desenvolvimento de políticas públicas que alinhem questões ambientais e de qualidade de vida. Neste sentido, uma das propostas é tratar a mobilidade urbana de forma sustentável, priorizando o deslocamento de pessoas e não de veículos. Na França, por exemplo, existe um programa federal em que o governo dispõe de recursos para os municípios que implementarem políticas de restrições ao uso dos automóveis e priorizem os modos coletivos e não motorizados de deslocamento (bicicletas, por exemplo).
     Por trás disso, esta a ideia de que ao priorizar o transporte público, se prioriza a qualidade de vida nas grandes cidades. No sentido de que ocorrerá a diminuição dos níveis de poluição, a diminuição do trânsito (menos veículos circulando) e, consequentemente, o tempo gasto pela pessoas em sua locomoção. Para isto funcionar, entretanto, é necessário que se ofereça opções realmente eficientes e de boa qualidade de transporte coletivo (bons ônibus, trens, metrôs, etc). Desta forma, valerá a pena para o cidadão a opção pelo transporte público.
        Imagina-se, que no futuro, esta ideia de priorização do transporte coletivo em relação ao individual  irá crescer e se desenvolver. E você leitor, o que pensa sobre esta questão?




2 comentários:

Cesar disse...

Tenho 58 anos. Nasci e sempre morei em Porto Alegre. Andei de bonde, ajudava no fim da linha a virar os bancos, andei de Trolleybus, mini ônibus, lotação antiga década de 60 em Kombis, novas lotações em Kombi década de 70, mais novas lotações de agora, Seletivo Carris 1974, inauguração T2 década de 70, Transporte de barco para Guaiba em 1980, transporte de barco atual para Guaiba e shopping Barra, Taxi fuca antigos, taxi novo, Uber, Bondinho antigo do centro. Muito transporte público. Muitos que muitos que moram aqui nem imaginam que existisse principalmente quem se mudou para cá depois de 1980. Cesar PoA.

Unknown disse...

tenho um bilhete de passagem da carris da década de 70.
série B